PS de Castelo Branco rejeita críticas do PSD sobre concessão mineira na Argemela

A Distrital do PS de Castelo Branco rejeita as críticas que a Distrital do PSD fez aos socialistas por estes terem questionado o Governo sobre uma concessão mineira na Serra da Argemela, que abrange localidades do Fundão e Covilhã.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o PS de Castelo Branco salienta que não aceitará qualquer "tentativa de condicionamento" e acusa o PSD de ter tido uma reação "totalmente descabida" ao criticar os deputados socialistas pela pergunta apresentada.

Na segunda-feira, a Comissão Política Distrital do PSD de Castelo Branco criticou, em comunicado, o "folclore mediático" que entendem que foi o facto de deputados socialistas eleitos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco questionarem o Governo sobre a sustentabilidade ambiental e socioeconómica da Serra da Argemela, dado que o início do processo data de 31 de janeiro de 2011, ou seja, numa altura em que o Governo ainda era liderado por José Sócrates, do PS.

"As questões elaboradas pelos deputados eleitos pelo Partido Socialista são um exercício de pura hipocrisia política", referiram os sociais-democratas.

Acusações que PS repudiou também: "O desnorte do PSD é indisfarçável".

"Critica a obtenção de esclarecimentos?", questionam os socialistas.

Segundo o PS, os deputados socialistas fazem perguntas porque não temem respostas e a ação política dos seus eleitos "orienta-se sempre pelo superior interesse das populações que servem" e explicam que, "neste caso, as questões colocadas visam acautelar a defesa das populações dos concelhos da Covilhã e do Fundão quanto ao impacto, na paisagem e na qualidade de vida, que o investimento mineiro previsto na Serra da Argemela pode significar".

"Perante as dúvidas das populações e das instituições locais, do Fundão e da Covilhã, publicamente expressas, bem como da necessidade de salvaguardar os interesses e a segurança ambiental a que têm direito, os deputados do PS pretendem ver esclarecidas as questões que suscitaram", esclarece a nota de imprensa.

Por outro lado, e respondendo à crítica de que estavam a questionar ações de governos socialistas, o PS de Castelo Branco salienta que não se deixa condicionar independentemente de quem está no Governo, "ao contrário dos deputados eleitos pelo PSD, como se demonstra nos casos da Barragem do Alvito, das portagens da A23, da poluição no Rio Tejo ou da Central da Almaraz".

"Os deputados do PSD nunca perguntam nada aos 'seus' Governos", acusa o PS, acrescentando ainda que "o PSD, quando Governo, não responde às perguntas dos deputados do PS, como são exemplos as perguntas feitas sobre o Alvito, o Tejo e Almaraz".

A questão da eventual concessão mineira na Serra da Argemela foi suscitada depois de no início do ano ter sido publicado o pedido de uma empresa para a autorização da exploração naquela Serra.

Este pedido motivou já uma manifestação popular de contestação realizada na localidade do Barco (Covilhã) e levou a Câmara Municipal da Covilhã a aprovar por unanimidade uma moção de protesto.

Siga mais em:  https://www.diariodigitalcastelobranco.pt/detalhe.php?id=41714